SECRETÁRIA

Rejane Calixto

Contato:

11 4057-7000

SAÚDE EM DESTAQUE

Programa UBS Nota 10 chega a 30% das Unidades Básicas
Pandemia aumenta procura nos serviços de saúde, mas vacinação ajuda a estabilizar cenário
Conheça Rejane Calixto, a secretária de Saúde

 

Diadema já imunizou mais de 37 mil pessoas contra a doença e passa a incluir mais oito grupos para receber a proteção

 

Na próxima segunda-feira (16/05), a Campanha de Vacinação contra Influenza entra na quinta etapa do calendário vacinal e abre a aplicação das doses para profissionais das forças de segurança e salvamento, forças armadas, funcionários do sistema prisional, caminhoneiros, trabalhadores de transporte coletivo rodoviário de passageiros urbano e de longo curso, trabalhadores portuários, população privada de liberdade e adolescentes e jovens sob medida socioeducativa. A vacina está disponível para os públicos elegíveis nas 20 Unidades Básicas de Saúde (UBSs) de Diadema, de segunda a sexta-feira, das 8h30 às 16h.

Pessoas referenciadas na UBS Piraporinha devem se dirigir ao Clube Municipal Mané Garrincha, onde funcionam as instalações da UBS durante a reforma do prédio da unidade. Os endereços estão em http://www.diadema.sp.gov.br/secretaria-saude/26592-conheca-os-locais-de-vacinacao-para-covid-19.

 

Proteção

A vacina disponível neste ano protege contra três cepas do vírus causador da gripe que mais circularam em 2021, entre eles, o H3N2 Darwin, que causou o surto de gripe no final do ano passado. A meta estipulada pelo Ministério da Saúde (MS) é imunizar 95% dos grupos prioritários, entretanto, a cobertura vacinal tem diminuído nos últimos anos. Para a coordenadora de Imunização de Diadema, Ferla Cirino, vários fatores influenciaram nesse contexto. “Ainda falta a população se conscientizar da importância da vacina na prevenção de doenças graves como a pneumonia. A desinformação e as fake news são os maiores responsáveis pela baixa adesão. Em dezembro, a gripe causada pela Influenza H3N2 (Darwin) levou muitas pessoas do grupo de risco à internação e ao óbito. Hoje, a vacina contra o H3N2 está disponível nos nossos postos de vacinação e a procura ainda está baixa”, explicou.

Até 11 de maio, o município aplicou 37.761 doses contra a influenza em idosos com mais de 60 anos, trabalhadores da saúde, crianças entre seis meses e cinco anos de idade, gestantes, puérperas, profissionais da educação, pessoas com deficiência ou comorbidades, indígenas e quilombolas. “Nosso desafio é sensibilizar a população através de ações no território, nos espaços coletivos e nas mídias, além de ofertar horários estendidos para atendimento ao cidadão que trabalha”, afirma Ferla.

Para receber a vacina, é preciso apresentar carteira de vacinação (apenas para o público infantil), documento pessoal com foto e, se possível, cartão do SUS. Além desses, alguns grupos precisam apresentar documentos específicos, como documentação que comprove o vínculo com a instituição de trabalho. São eles:

●       Crianças de seis meses a menores de cinco anos: Caderneta de vacinação e presença de um acompanhante maior de 18 anos;

●       Entre cinco e 59 anos: devem pertencer a um dos grupos elegíveis para receber a vacina. Para menores de 12 anos, há exigência de um acompanhante maior de 18 anos;

●       Gestantes e puérperas (até 45 dias pós-parto): devem apresentar documento comprobatório (exame de gravidez, caderneta de Pré-Natal, relatório de alta da maternidade, certidão de nascimento do RN)

●       Trabalhadores da Educação: documento que comprove vínculo com alguma instituição de educação, pública ou privada;

●       Trabalhadores da Saúde: documento que comprove vínculo com alguma instituição de saúde.

A orientação da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) é que, caso a pessoa esteja com algum sintoma gripal, faça o teste para covid-19 e adie a vacinação até a recuperação clínica. Se houver confirmação para covid-19, é preciso aguardar, no mínimo, quatro semanas para receber a imunização.

Durante a permanência na Unidade Básica de Saúde, o uso de máscara de proteção continua obrigatório.

 

Por Renata Nascimento 

Foto: Mauro Pedroso