Tamanho do Texto

 

Por: Beatriz Lucas

A cidade é a única da America Latina presente no evento

Nesta quarta-feira, 16/05, Diadema participou da segunda edição do AI for Good Global Summit, Congresso Internacional da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre Inteligência Artificial (IA).

Realizado em Genebra (Suíça), o AI for Good Global Summit é organizado pela ITU, a agência especializada das ONU para as tecnologias da informação e comunicação. O evento é a principal plataforma das Nações Unidas para o diálogo sobre IA. 

O foco desta edição é identificar práticas de IA e apoiar estratégias que visam melhorar a qualidade e a sustentabilidade da vida no planeta, além de garantir o desenvolvimento confiável, seguro e inclusivo de tecnologias de IA.

Diadema é a única cidade da América Latina a participar do evento que vai até amanhã. O objetivo é apresentar o DOE – Diadema Open Evolution, repositório que está sendo desenvolvido pela cidade para oferecer e obter sugestões de IA  aplicada para gestão pública. No DOE, qualquer cidade ou cidadão poderá contribuir e ter acesso a projetos com soluções inteligentes e rápidas para o desenvolvimento de Cidades Inteligentes (SmartCities).

A primeira-dama e secretária de Assistência Social e Cidadania, Caroline Rocha, vê com otimismo e positividade o convite feito para a Prefeitura de Diadema. “O convite feito pela ONU indica que estamos indo no caminho certo, pensando na cidade para os próximos anos e desenvolvendo ações relacionadas à tecnologia, inovação e atração de indústrias para Diadema. Não podemos ficar para trás. Temos que estar atentos às novidades e utilizar a experiência de cidades mais desenvolvidas para traçarmos nosso plano de desenvolvimento econômico”.

Entre as contribuições iniciais da Prefeitura de Diadema, para o DOE, se destacam três. A primeira está relacionada a um Desafio de Inovação que será realizado no segundo semestre. Com um formato desenvolvido por Diadema, a cidade poderá receber projetos de pesquisadores de todo o mundo que utilizem a Inteligência Artificial como aliada para trazer soluções para a cidade. Os projetos devem estar relacionados com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU, envolvendo 17 áreas temáticas como saúde e educação. “Esse será um passo importante para Diadema se tornar uma Cidade Inteligente, desenvolvendo um ambiente de inovação e colaboração no município”, afirma o coordenador do projeto, Wesley de Oliveira.

A segunda está relacionada à Segurança, um problema listado como prioridade em todas as cidades. O objetivo da cidade é instalar câmeras para melhorar a vigilância, a proteção e a resposta rápida das autoridades. Para isso, Diadema contará com a ajuda de algoritmos de Inteligência Artificial, robôs que auxiliam na identificação de eventos criminosos, gerando dados e auxiliando na tomada de decisão por ações de segurança pública mais eficiente. 

 A última envolve a violência contra mulher. A Inteligência Artificial será utilizada para auxiliar no atendimento pelos meios eletrônicos e mapeamento de áreas de risco, gerando dados que poderão subsidiar a criação de novas estratégias de atendimento e construção de novas unidades da Casa Beth Lobo. A Casa oferece serviço especializado no atendimento de mulheres vítimas de violência. A Central de Atendimento acolhe mulheres vítimas de violência doméstica, recebendo demandas espontâneas ou encaminhamentos de diversos serviços.

Para a secretária de Comunicação e representante da cidade no congresso, Carla Dualib, esta é uma iniciativa que trará muitos frutos para o desenvolvimento da cidade. “Diadema está atenta às transformações que acontecem no Brasil e no mundo e sabemos a relevância de trazer para a cidade ações sobre temas como as Cidades Inteligentes, Indústria 4.0, Inteligência Artificial e outras tendências globais que permitem novos olhares sobre a gestão pública”.

Carla Dualib ainda completa sobre a honra de representar a cidade e sobre os benefícios para o futuro. “Queremos, não somente trazer projetos sobre esses temas que possam servir para Diadema, mas que também possam ser uma contribuição relevante dentro desse novo paradigma de colaboração global. Assim, está nascendo o DOE, Diadema Open Evolution, um repositório aberto de iniciativas de inovação para cidades de países emergentes que compartilham de características em comum com Diadema. Fomos convidados para apresentar o que temos feito e trazer novas soluções para a cidade envolvendo, sobretudo, Inteligência Artificial. Diadema tem a honra de participar como única cidade da América Latina”. 

 

Outubro 2018
Do Se Te Qu Qu Se
30 1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30 31 1 2 3