Tamanho do Texto

Atividade faz parte do programa Giro Cultural

Por: Natielly Santos

Hoje (01/09), oito crianças e adolescentes, de 12 a 17 anos, que passam por atendimento terapêutico no Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) Infantil, foram à Casa do Hip Hop para conhecer os quatro elementos (Breaking, DJ, MC e Grafitti) que compõem o movimento. 

O propósito da visita foi apresentar aos jovens oficinas de vivência que incluem dança, música, rima e literatura, além de desenho e pintura, que também são realizadas no CAPS. Essa é a primeira vez que os pacientes do CAPS Infantil visitaram a Casa do Hip Hop e tiveram a chance de conhecer as instalações recentemente reformadas.

Para o coordenador do CAPS Infantil, Marcelo Zappitelli, essas oficinas funcionam como atividades terapêuticas, pois trazem melhoria na qualidade de vida e diminuição dos sintomas. “Outras vantagens são a aproximação com os bairros e reconhecimento dos equipamentos, que poucos conhecem”, diz.

A auxiliar de enfermagem do CAPS Infantil, Rosana Silva, acredita que as oficinas são importantes porque ajudam a desenvolver talentos e habilidades das crianças e dos adolescentes. “Sem contar que é uma oportunidade de conhecer a fundo a cultura do Hip Hop e despertar o interesse pelo gênero”, acrescenta. Já para o Valdemir Gomes, coordenador do projeto Giro Cultural, o contato com essas atividades favorece a socialização e inclusão social dos pacientes. “Qualquer uma dessas linguagens e também o próprio ambiente do nosso espaço estimulam a interação entre os participantes”.

A escolha do roteiro partiu dos próprios pacientes, que, segundo a auxiliar de enfermagem, se identificaram com a programação. “Nós sugerimos e eles não tiveram dúvida em optar pela Casa de Hip Hop”, conclui a funcionária do Caps Rosana Silva.

Giro Cultural

A visita está incluída na programação do Giro Cultural, projeto desenvolvido pela Prefeitura de Diadema, por meio da Secretaria de Cultura, e que visa a formação de público e promoção e difusão da cultura. “A intenção do Giro é justamente mostrar que na Cultura não existem barreiras nem limitações e que todos podem conhecer os locais e se envolver nas atividades”, afirma o secretário de Cultura, Eduardo Minas. 

O Projeto teve início em março deste ano e apresenta outros dois roteiros, além do tour na Casa do Hip Hop. Perto de 4 mil pessoas já visitaram os roteiros.

Confira os roteiros:

1. Centro Cultural Diadema: Nele, o espaço e seus equipamentos são apresentados. Depois, o visitante conhece a Companhia de Danças de Diadema, onde realizam experiências de dança. Também compõem o roteiro a Biblioteca Olíria de Campos Barros, onde são realizadas contação de histórias e apresentaçãodo acervo. Por último, o participante conhece os ateliês do Espaço Cândido Portinari, que oferecem atividades de pintura. 

2. Museu de Arte Popular (MAP): A visita começa com uma breve explicação sobre o acervo, e depois os visitantes seguem para a Casa da Música Olímpio Martins, para ter contato com os cursos oferecidos. Outro local percorrido é o Centro de Memória de Diadema, onde é feita uma breve intervenção cênica sobre a história de Diadema e vivência com integrantes da Big Band Lira Jazz, grupo de Jazz e música brasileira formado por 16 músicos. 

O Giro Cultural é aberto para toda população. Os interessados em conhecer os equipamentos culturais da cidade podem se inscrever pelo telefone 4072-931, pelo e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. ou presencialmente, na Rua 24 de Maio, 38, Jardim Canhema. 

CAPS Infantil

O Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) Infantil fica localizado na Rua Oriente Monti, 28, 2º andar. Ele oferece tratamentos psiquiátricos para crianças e adolescentes que possuem doenças mentais, depressão, autismo e quadros de ansiedade. Atualmente, o CAPS se encontra com 500 a 600 pacientes ativos.

 

Novembro 2018
Do Se Te Qu Qu Se
28 29 30 31 1 2 3
4 5 6 7 8 9 10
11 12 13 14 15 16 17
18 19 20 21 22 23 24
25 26 27 28 29 30 1