Tamanho do Texto

A Prefeitura de Diadema se solidariza com a família do aluno da Creche Eva Maria dos Santos que veio a óbito no dia 7/6. 

Em relação ao caso de Meningite, a Vigilância Epidemiológica adotou todas as medidas necessárias e ressalta que os procedimentos seguem protocolos estabelecidos e referendados por órgãos técnicos mundiais especialistas na área.

 

  • Em 07/06 – Quarta-feira: no final da tarde a Vigilância Epidemiológica foi notificada da ocorrência do óbito da criança.
  • 08/06- Quinta-feira:
  • A Vigilância Epidemiológica iniciou os contatos com a Creche, Secretaria de Educação e família da criança para adotar medidas necessárias;
  • A Creche suspendeu as aulas para acompanhar o sepultamento da criança;
  • A Vigilância Epidemiológica conversou com os familiares e a mãe da criança, instituindo a quimioprofilaxia, indicado para contatos domiciliares que tiveram convívio prolongado com a criança;
  • A mãe da criança foi atendida na UBS Maria Teresa e agendada consulta com a psicóloga;
  • As ações foram acompanhadas pela equipe da UBS Maria Teresa:
  • 09/06: Sexta-feira: foi realizada palestra com os pais na Creche e fornecido o medicamento profilático para a classe da criança;
  • 13/06: Terça-feira: chegou à Vigilância Epidemiológica a informação de internação em SP de criança da mesma Creche com suspeita de Meningite. Após contato com o hospital foi descartada a doença;
  • 14/06: Quarta-feira: A equipe da Saúde retornou a Creche para nova palestra com os pais para esclarecimento de dúvidas. Nesta ação estava presente a Gerente da UBS Maria Teresa.

 

Informações sobre a doença 

MENINGITES

A Meningite é a inflamação das membranas (denominadas “meninges”) que envolvem o cérebro e a medula espinhal. As meningites podem ser transmitidas pela saliva ou pelas fezes. 

Vários tipos diferentes de vírus e bactérias podem causar meningite. 

As principais bactérias responsáveis por causar meningite são: 

  • Streptococcus pneumoniae
  • Neisseria meningitidis  ( tipo A, B, C, W135) 
  • Haemophilus influenzae tipo B.

A meningite viral é mais frequente que a meningite bacteriana. Um grupo de vírus chamado Enterovírus constitui a causa mais comum de meningite viral entre crianças. Os Enterovírus encontram-se na garganta e fezes de pessoas infectadas. A disseminação destes vírus ocorre quando as pessoas não lavam as mãos após ir ao banheiro, após trocar fraldas ou lençóis sujos, manipularem alimentos ou tocarem em outras pessoas com os dedos contaminados.

Nem todos os tipos de meningite são transmitidas de pessoa a pessoa. Somente a Meningite Meningocócica tem essa característica, porém a transmissão se dá após contato íntimo, e prolongado, e esse contato geralmente ocorre na residência.

Sinais e Sintomas

Os sinais e sintomas de meningite podem variar de acordo com o agente que está causando a meningite, porém na maioria das vezes observa-se: 

  • Aparecimento súbito de febre, 
  • Dor de cabeça forte e constante, 
  • Rigidez ou dor no pescoço, 
  • Náuseas, vômitos; dores musculares. 
  • Alguns pacientes podem apresentar também: mudanças de comportamento, confusão mental, sonolência, dificuldade para despertar.
  • Em recém-nascidos e lactentes, os únicos sinais e sintomas de meningite podem ser: febre, irritação, cansaço, falta de apetite e abaulamento da fontanela (moleira). 
  • Algumas bactérias podem causar manchas vermelhas ou arroxeadas na pele. Estas manchas podem indicar gravidade da doença (meningoccemia)

Prevenção

Para evitar a disseminação de vírus e bactérias é importante o hábito de lavar as mãos frequentemente com água e sabão além de evitar compartilhar alimentos, bebidas, pratos, copos e talheres. Também manter os ambientes ventilados independente do frio é uma medida de prevenção de doenças

Além das medidas acima, existem vacinas para prevenir as meningites, porém ainda não há vacina para todos os tipos de bactérias que causam a meningite. Também não existem vacinas contra os vírus que causam meningite.  Estão disponíveis na rede de saúde algumas vacinas para crianças menores de 4 anos, que são as com maior chance de contágio. São elas: 

  • Vacina contra Haemophilus influenzae tipo b (Hib): faz parte da Pentavalente 
  • Vacina conjugada pneumocócica 10-valente: protege contra diversas infecções causadas pelo Pneumococo, inclusive um dos tipos de meningite
  • Vacina meningocócica conjugada tipo  C protege contra o sorogrupo C de Neisseria meningitidis que causa  uma das  formas graves da doença
  • Importante 

  O meningococo, que causa a Meningite Meningocócica, não sobrevive no ar ou nos objetos. Portanto não se recomenda fechar escolas ou creches, quando ocorre um caso de meningite entre os alunos. Também não é necessária a lavagem de ambientes ou queimar objetos de uso do doente, bastando a limpeza habitual

  • Manter a vacinação em dia de acordo com as recomendações do Programa Nacional de Imunizações, pois desde o nascimento as crianças recebem vacinas que protegem contra vírus e bactérias que podem causar meningites.
  • Diante da suspeita de meningite, procurar imediatamente atendimento médico
  • Crianças com febre ou adoentadas não devem ir para a escola
  • Todos os casos suspeitos de meningite devem ser notificados o mais rápido possível à Vigilância Epidemiológica, que pertence à Secretaria de Saúde. Serão avaliadas as medidas de prevenção e controle que necessitam ser adotadas 

 

Outubro 2017
Do Se Te Qu Qu Se
1 2 3 4 5 6 7
8 9 10 11 12 13 14
15 16 17 18 19 20 21
22 23 24 25 26 27 28
29 30 31 1 2 3 4