A vacinação contra a Covid-19 começou na noite da terça-feira (19/01), no Quarteirão da Saúde, em uma live transmitida pelas redes sociais da Prefeitura @PrefDiadema. Diadema foi a primeira cidade do ABCD a receber as doses, que chegaram por volta das 15h30, na Central de Imunobiológicos do município. 

Seguindo diretrizes estabelecidas pelo Ministério da Saúde e Governo do Estado, as doses serão destinadas, neste momento, aos profissionais que atuam na linha de frente da saúde. Preparamos um Perguntas e Respostas para esclarecer as principais dúvidas recebidas dos munícipes via canais oficiais de comunicação. 

Esse documento será atualizado constantemente conforme as novas diretrizes forem sendo divulgadas pelos entes responsáveis. 

 

Perguntas frequentes: 

Quantas doses vieram para a Diadema?

Em 19 de janeiro, o município recebeu, em sua Central de Imunobiológicos, a primeira entrega de vacinas, com 4.480 doses.

 

Como será a distribuição dessas primeiras doses?

Entre estabelecimentos públicos e privados, Diadema tem uma quantidade de trabalhadores da saúde superior à quantidade de doses recebidas na primeira entrega. Assim, com o objetivo de fazer a vacina chegar para aqueles que mais necessitam dela, o município, embasado pelas diretrizes do Plano Nacional de Imunização e do Plano Estadual de Imunização,  priorizou os trabalhadores da linha de frente, ou seja, aqueles que estão no Hospital Municipal Diadema, Hospital Estadual de Diadema (Serraria), no SAMU,  nas 20 Unidades Básicas de Saúde (UBS) e hospitais de grande porte da rede privada (Innova e Intermédica). Os trabalhadores dos demais estabelecimentos de saúde públicos e privados serão imunizados assim que forem recebidas novas doses.

 

Sobre a vacina

Qual vacina vai ser aplicada em Diadema?

As 4.480 doses que chegaram em Diadema na primeira entrega são provenientes do Instituto Butantan, desenvolvidas em parceria com a farmacêutica Sinovac.

 

A vacina é segura?

As vacinas são uma das mais importantes ferramentas utilizadas pela saúde pública para prevenir e controlar doenças e óbitos, com impacto direto na sua redução, e o Brasil tem um dos maiores e melhores programas públicos de imunização de todo o mundo. As vacinas recebidas por Diadema tem 78% de eficácia na prevenção de casos leves e 100% de eficácia na prevenção de casos moderados e graves.

 

Quais são as contra-indicações da vacina?

- Hipersensibilidade ao princípio ativo ou a qualquer dos excipientes da vacina;

- Para aquelas pessoas que já apresentaram uma reação anafilática confirmada a uma dose anterior de uma vacina Covid-19

- Pessoas menores de 18 anos.

 

Outras precauções

Em geral, como com todas as vacinas, diante de doenças agudas febris moderadas ou graves, recomenda-se o adiamento da vacinação até a resolução do quadro com o intuito de não se atribuir à vacina as manifestações da doença;

Não há evidências, até o momento, de qualquer preocupação de segurança na vacinação de indivíduos com história anterior de infecção ou com anticorpo detectável pelo SARS-COV-2.

É improvável que a vacinação de indivíduos infectados (em período de incubação) ou assintomáticos tenha um efeito prejudicial sobre a doença. Entretanto, recomenda-se o adiamento da vacinação nas pessoas com quadro sugestivo de infecção em atividade para se evitar confusão com outros diagnósticos diferenciais. Como a piora clínica pode ocorrer até duas semanas após a infecção, idealmente a vacinação deve ser adiada até a recuperação clínica total e pelo menos quatro semanas após o início dos sintomas ou quatro semanas a partir da primeira amostra de PCR positiva em pessoas assintomáticas. 

 

Há algum problema esperado depois de se tomar a vacina, ou seja, algum evento adverso?

O principal evento adverso esperado é a dor no local de aplicação e dor de cabeça. 

 

Crianças poderão tomar a vacina? 

A vacina é indicada apenas para maiores de 18 anos de idade.

 

Grávidas, puérperas e lactantes poderão tomar a vacina?

- A segurança e eficácia das vacinas não foram avaliadas nestes grupos. 

- Estudos em animais não demonstraram risco de malformações nas que estavam grávidas.

- Para as mulheres que descobrirem posteriormente à vacinação que estavam gestantes no momento da administração da vacina, o profissional deverá tranquilizar a gestante sobre a baixa probabilidade de risco e encaminhar para o acompanhamento pré-natal. 

 

Sobre o plano municipal

Quais são as fases do plano?

O Plano Municipal de Vacinação contra a Covid-19 baseia-se nos Planos Nacional e Estadual de Imunização. Até a última semana, o município esperava iniciar a vacinação dos profissionais de saúde em 25 de janeiro e a das pessoas maiores de 60 anos em 8 de fevereiro, conforme determinava o Plano Estadual. No entanto, em virtude de mudanças muito recentes, a vacinação dos trabalhadores da saúde foi antecipada para 19 de janeiro, ainda com uma quantidade insuficiente de doses para atender todos os trabalhadores de saúde do município, e a vacinação dos maiores de 60 anos ainda aguarda uma nova definição de data por parte dos governos estadual e federal.

 

Sobre os grupos prioritários 

O lote de vacina que Diadema recebeu dará para todos? 

As vacinas distribuídas para Diadema seguem as orientações dos Planos Nacional e Estadual de Imunização, que orientam a vacinação nessa etapa para os trabalhadores da saúde (dos serviços públicos e privados) que estão na linha de frente do atendimento aos casos suspeitos e confirmados de covid-19, 100% das Instituições de Longa Permanência de Idosos (incluindo seus trabalhadores), 100% das pessoas acima de 18 anos com deficiência institucionalizadas (incluindo seus trabalhadores) e 100% da população indígena que vive em terras indígenas. 

 

Quem pode tomar a vacina?

Cada pessoa, em função de sua idade, condições de saúde e/ou ocupação profissional, será vacinada em uma fase específica da campanha, mas a vacina pode ser aplicada em indivíduos com 18 anos ou mais que sejam suscetíveis ao vírus.

 

A partir de quando?

O calendário da campanha ainda está sob revisão pelos governos estadual e federal, mas a vacinação já teve início para trabalhadores da saúde, idosos em instituições de longa permanência, indígenas residentes de terras indígenas e maiores de 18 anos com deficiência residentes em instituições.

 

Quais critérios de prioridade são usados para definir os grupos prioritários?

Segundo dados do Plano Estadual de Imunização, cerca de 77% dos óbitos por coronavírus no Estado de São Paulo concentram-se no público de trabalhadores da saúde, indígenas e idosos de 60 anos ou mais. Então além de levar em consideração a necessidade de reduzir a morbimortalidade nesse grupo, são utilizados critérios como vacinar os indivíduos com maior risco de infecção, trabalhadores de serviços essenciais, manutenção dos serviços de saúde e capacidade de atendimento à população e reduzir risco de desenvolvimento de formas graves e óbitos nesses grupos prioritários. 

 

Quem são os trabalhadores da saúde que poderão ser vacinados?

“Trabalhadores da saúde” são todos aqueles que trabalham em edificações de serviços de saúde, tais como pessoal administrativo e dos serviços de nutrição, segurança, recepção, limpeza, conservação, enfermagem, equipes médicas e cirúrgicas, técnicos de laboratórios, entre outros. Portanto, todo trabalhador de serviços de saúde, independente de sua categoria profissional, está incluído e será vacinado na medida em que as doses forem recebidas pelo município.

 

Sou da área da saúde e queria saber quando vou poder me vacinar?

A vacinação dos trabalhadores da saúde já teve início simbolicamente no dia 19 de janeiro de 2021 e prossegue a partir de 20/01 nas unidades. No entanto, como a quantidade de doses recebidas por Diadema não é suficiente para todos esses trabalhadores, o município embasado pelas diretrizes do Plano Nacional de Imunização e do Plano Estadual de Imunização priorizou os trabalhadores dos serviços municipais e privados que atuam no atendimento direto aos pacientes com suspeita ou diagnóstico de Covid-19, ou seja, aqueles que estão no Hospital Municipal Diadema, Hospital Estadual de Diadema (Serraria), Pronto Socorro Municipal, Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) e nas 20 Unidades Básicas de Saúde (UBS), além dos serviços privados: Hospital Innova Diadema e Centro Clínico NotreDame Intermédica, esses dois últimos receberão suas doses assim que informar os quantitativos de profissionais que atendam ao novo critério de priorização. 

 

Profissionais da educação e da assistência social serão vacinados quando?

O município de Diadema considera também prioritária a vacinação dos profissionais de educação, assistência social e de tantos outros serviços essenciais, como profissionais de defesa e dos serviços funerários, por exemplo. No entanto, a distribuição de doses está sendo feita, até o momento, pelo governo estadual, que define o quantitativo destinado a cada município mediante critérios próprios. Também esperamos ansiosamente por novas fases que contemplem esses profissionais. 

 

Os cuidadores de idosos são considerados profissionais de saúde? Quando poderão se vacinar?

Os cuidadores que trabalham em Instituições de Longa Permanência de Idosos (ILPIs) serão vacinados já nesta primeira fase da campanha em seus respectivos locais de trabalho. Cuidadores familiares ou sem vínculos com estabelecimentos de saúde ou abrigamento deverão esperar pelas próximas fases.

 

Quem tem doenças crônicas, como problemas respiratórios, poderá tomar a vacina?

O uso da vacina é contraindicado em casos de início agudo de doenças crônicas. Em caso de dúvidas, não deixe de conversar com os profissionais de saúde da UBS mais próxima de sua casa.

 

Em quais lugares a vacinação ocorrerá em Diadema? Vai ser em todos os postos?

Para os trabalhadores da saúde, a vacina será disponibilizada nos seus respectivos postos de trabalho, conforme já explicado acima e conforme a disponibilidade de doses. Para os maiores de 60 anos, a programação é que a vacinação seja realizada, de forma escalonada, em 19 escolas municipais e uma Unidade Básica de Saúde, das 8h às 17h; nos dois Pronto Atendimentos (Paineiras e Eldorado), das 17h às 22h e nos Shoppings Praça da Moça e Diadema (Serraria), das 10h às 22h. Essa programação ainda poderá sofrer alterações. 

 

É necessário fazer algum pré-cadastro?

O Governo de São Paulo lançou o site www.vacinaja.sp.gov.br para agilizar a campanha de vacinação contra a Covid-19. Todas as pessoas aptas a receber a vacina do Butantan poderão fazer um pré-cadastro. O fornecimento das informações é opcional, mas vai garantir um atendimento mais rápido nos locais de vacinação e evitar a formação de aglomerações. Quem não conseguir se cadastrar, não precisa se preocupar, pois o cadastro completo poderá ser feito na unidade de vacinação. Lembramos que o pré-cadastro não é um agendamento, mas um meio de facilitar o atendimento dos munícipes nos locais de vacinação em cada uma das fases. 

Importante deixar claro que o cadastro não garante a vacinação. 

 

Preciso levar algum documento?

Todos devem levar um documento oficial, com foto, e, se possível, o número de seu Cartão SUS, a fim de facilitar o atendimento.

 

Sou trabalhador da saúde. Quais documentos preciso apresentar para tomar a vacina?

Os trabalhadores da saúde devem apresentar documento (carteirinha) que os vincule ao conselho de classe ou holerite/folha de pagamento que comprove seu vínculo empregatício com um estabelecimento de saúde. 

 

Tenho mais de 60 anos. Preciso levar algum documento específico?

Não precisa. Os maiores de 60 anos poderão apresentar apenas um documento oficial válido com foto (RG, CNH, passaporte, etc.) que comprove sua idade.

 

Posso tomar a vacina sem a carteirinha de vacinação?

A falta da carteirinha não impedirá você de se vacinar, pois o registro da dose será feito em sistema informatizado e você receberá um comprovante específico em papel para levar para casa após a vacinação. No entanto, ter a carteirinha em boas condições e sempre atualizada é fundamental para o bom acompanhamento de sua saúde e de seus familiares. Para isso, procure a UBS mais próxima de sua casa. 

 

Posso tomar a vacina sem o Cartão SUS?

Será obrigatória a apresentação de documento de identificação com foto e o Cartão SUS pode facilitar muito o registro de sua dose por nossos profissionais. No entanto, não é obrigatória sua apresentação. Caso não tenha seu Cartão SUS, nossa dica é que você baixe no seu telefone o aplicativo “Conecte-SUS”, insira os dados solicitados e tenha seu número do Cartão SUS sempre que necessário, na tela do celular.

 

Como vai ser o cronograma de vacina para os idosos? Onde e quando eles vão poder se vacinar?

A vacinação das pessoas maiores de 60 anos ocorrerá de forma escalonada, começando pelas maiores de 75 anos, depois aquelas entre 70 e 74, seguidos por aquelas entre 65 e 69 anos e, por fim, aquelas entre 60 a 74 anos de idade. Segundo o calendário estadual, a vacinação dos maiores de 75 anos teria início em 8 de fevereiro, mas em função de mudanças recentes, o município aguarda novas orientações dos governos estadual e federal.

 

Não estou me sentindo bem. Devo esperar mais um pouco para me vacinar?

Por enquanto, a recomendação é que pessoas com doenças febris moderadas a graves adiem sua vacinação. Nesse caso, não deixe de procurar a UBS mais próxima de sua casa para uma avaliação por profissional de saúde.

 

Sobre as doses

Em qual parte do corpo a vacina é aplicada?

A vacina é preferencialmente aplicada no músculo deltóide, ou seja, no braço. Em casos excepcionais, pode ser utilizada a região glútea.

 

Quantas doses da vacina é preciso tomar?

O esquema vacinal completo é de duas (2) doses, o que é necessário para obter a resposta imune esperada para a prevenção de covid-19.

 

Quantos dias depois de tomar a primeira dose temos que tomar a segunda? 

O intervalo entre doses é de 2 a 4 semanas, sendo que o Programa Estadual de Imunização recomenda 21 dias. Assim, você pode tomar a segunda dose, no mínimo, 14 dias após a primeira dose e, no máximo, 28 dias depois.

 

Sobre os cuidados e formas de prevenção

A vacina é a forma que temos de combater a disseminação do vírus, reduzir os casos graves e impedir mortes, mas é preciso continuar evitando aglomerações e manter as orientações de prevenção: usar máscara, lavar as mãos, usar álcool gel e manter o distanciamento social.

 

Depois de tomar a vacina, posso deixar de usar máscara? 

Não. A vacina é eficaz na proteção contra a doença causada pelo coronavírus, ou seja, na prevenção da covid-19, mas você poderá ainda se infectar, mesmo não desenvolvendo a doença. Assim, teremos que manter as medidas de prevenção - uso de máscaras, higiene e distanciamento - para diminuirmos o risco de infecção e transmissão para aqueles que estão à nossa volta e ainda não foram vacinados. É importante lembrar também que o corpo demora algum tempo para produzir anticorpos após a vacinação e, durante este tempo, as medidas de prevenção são ainda mais importantes.

 

Outras dúvidas

Onde posso acompanhar para ter informações sobre a campanha? 

Todas as informações oficiais sobre a campanha de vacinação em Diadema serão disponibilizadas no site da Prefeitura e nas redes sociais @PrefDiadema 

 

Fontes: 

- Apresentação “Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19”, do Ministério da Saúde

- Bula da Coronavac, do Instituto Butantan

- Documento Técnico “Campanha de Vacinação contra a Covid-19”, do Estado de São Paulo - 19/01/2021

- Informe Técnico “Campanha Nacional de Vacinação contra a Covid-19”, do Ministério da Saúde

- Perguntas Frequentes - Sala de Vacina, do Governo do Estado de SP

- Plano Nacional de Imunização

- Plano Estadual de Imunização.