Na próxima segunda-feira (17), a Prefeitura de Diadema dará início a mais uma fase da Campanha Municipal de Vacinação contra a Covid-19: a imunização das crianças. No total, a meta é vacinar 44.062 crianças entre 5 e 11 anos. Entretanto, devido ao número limitado de doses distribuídas pelo Ministério da Saúde, os municípios terão que começar a campanha priorizando os mais vulneráveis, que são as crianças de 5 a 11 anos com comorbidades, deficiências, indígenas aldeados e quilombolas. As primeiras doses chegaram nesta sexta-feira (14) à cidade.

"Estamos preparados para vacinar as nossas crianças no menor tempo possível, mas devido ao número de doses limitadas que recebemos hoje na nossa Central de Imunobiológicos foi necessário dar prioridade para esse público. Pedimos para a população ter tranquilidade, pois à medida em que formos recebendo novas grades de vacina, o imunizante pediátrico vai ser disponibilizado para mais crianças, assim como fizemos para a população adulta. Enquanto isso, é fundamental que as pessoas se cuidem, respeitem os protocolos sanitários e façam uso da máscara, pois a pandemia não acabou”, afirma Dra Rejane Calixto, secretária municipal da Saúde.  

Confira abaixo as 10 principais dúvidas sobre a campanha: 

- Quem vai poder se vacinar nessa fase? A partir de segunda-feira (17), está autorizada a vacinação de crianças de 5 a 11 anos de idade, com comorbidades ou deficiência (PcD). A vacinação também estará disponível para crianças indígenas aldeadas e quilombolas da mesma faixa etária.

- Quais são as comorbidades elegíveis para vacinação nessa fase?  A lista das comorbidades é definida pelo Ministério da Saúde.

Lista de comorbidades do Ministério da Saúde: 

•  Insuficiência cardíaca

•  Cor-pulmonale e hipertensão pulmonar

•  Cardiopatia hipertensiva

•  Síndromes coronarianas

•  Valvopatias

•  Miocardiopatias e pericardiopatias

•  Doenças da aorta, grandes vasos e fístulas arteriovenosas

•  Arritmias cardíacas

•  Cardiopatias congênitas

•  Próteses e implantes cardíacos

•  Talassemia

•  Síndrome de Down

•  Diabetes mellitus

•  Pneumopatias crônicas graves (DPOC, fibrose cística, doenças intersticiais pulmonares fibrosantes, neumoconioses, displasia broncopulmonar, asma (*) e hipertensão pulmonar). 

•  Hipertensão arterial (*) resistente e de artéria estágio 3 

•  Hipertensão estágios (*) 1 e 2 com lesão e órgão alvo

•  Doença cerebrovascular 

•  Doença renal crônica (*) 

•  Imunossuprimidos (*) (Transplantados de órgão sólido ou médula óssea; Artrite reumatoide, Esclerose múltipla, Lúpus, Psoríase, Vitiligo, Tiroidite autoimune, Hepatite autoimune, Imunodeficiência primária, Quimioterapia nos últimos 6 meses e Radioterapia nos últimos 6 meses) 

•  Anemia falciforme

•  Obesidade mórbida

•  Cirrose hepática

•  Pessoas vivendo com HIV

 

(*) Crianças que realizam hemodiálise (doença renal crônica) devem apresentar comprovação da clínica ou relatório médico. 

(*) Portadores de asma devem apresentar relatório médico ou receita com um ou mais medicamentos, oral ou em Spray Nasal/Oral com validade de 6 meses.

(*) Para crianças Hipertensas, será exigida a receita médica ou relatório que contenha um CID característico da doença. A receita médica deve conter ao menos um ou mais medicamentos ANTIHIPERTENSIVOS e a receita tem validade de 12 meses.

(*) Crianças transplantadas serão vacinadas, quando em uso de medicamentos imunossupressores, portanto, será exigida apresentação de relatório médico ou receita médica do medicamento imunossupressor em utilização pelo paciente, atualizada nos últimos 4 meses.

(*) Transtornos do espectro do autismo (TEA): a vacinação de portadores de TEA está condicionada ao relatório médico que indique o grau de comprometimento cognitivo, comportamental ou social do paciente para que ele possa ser enquadrado no grupo de deficiência permanente.

- Precisa agendar? 

Não. A vacinação será feita nas 20 UBSs de Diadema por livre demanda. Veja os endereços aqui: http://www.diadema.sp.gov.br/secretaria-saude/26592-conheca-os-locais-de-vacinacao-para-covid-19

- Quais documentos são necessários para receber a vacina? 

Nessa fase, os pais terão de apresentar atestado médico, receita ou exames que comprovem a condição clínica prioritária. Além disto, é necessário apresentar documento de identificação da criança (RG ou certidão de nascimento), CPF da criança, comprovante de residência de Diadema no nome dos pais ou responsáveis legais ou carteirinha da UBS e a Caderneta de Vacinação de rotina. 

Conforme novas doses forem liberadas ao município, a previsão é ir abrindo para o público sem comorbidades, respeitando as faixas etárias.  

- Por que precisa apresentar o CPF da criança? 

O documento é pessoal e intransferível e seu número é fundamental para o registro de doses no sistema Vacivida, que concentra as informações sobre a vacinação contra a Covid-19 no Estado de São Paulo. Isso evita fraudes e garante mais segurança e transparência nos dados da vacinação. 

- Quem não tem CPF, como faz para tirar o documento? 

A solicitação do CPF para menores de idade pode ser feita online, no site da Receita Federal, desde que a pessoa já possua título de eleitor.  Outra opção é pessoalmente nas agências do Banco do Brasil, da Caixa Econômica Federal ou dos Correios. Saiba todos os detalhes aqui: http://www.diadema.sp.gov.br/covid/27504-vacina-covid-19-para-criancas-pre-cadastro-no-site-vacina-ja-vai-acelerar-a-vacinacao 

- Como agilizar a vacinação?  

Agilize o pré-cadastro pelo link https://www.vacinaja.sp.gov.br/ 

Para cadastrar os filhos, pais e responsáveis devem acessar o site, clicar no botão “Crianças até 11 anos” e preencher o formulário. 

Depois do cadastro é ver o cronograma e ir direto a uma das 20 Unidades Básicas de Saúde , com toda a documentação obrigatória. 

- E para as crianças sem comorbidades, já tem o cronograma? 

Segundo o Plano Estadual de Imunização (PEI), a previsão é iniciar na segunda semana de fevereiro a aplicação nas crianças de 11 a 9 anos, sem comorbidades. à medida que mais doses forem sendo distribuídas ao município, esse cronograma vai descendo a faixa etária. 

- A dose das crianças é a mesma dos adultos?  

Não. As crianças vão receber a dose pediátrica da vacina da Pfizer (Comirnaty), único imunizante, no momento, autorizado pela Anvisa para esse público. O tampo do frasco é da cor laranja, para evitar erros.

Além disto, o volume do líquido aplicado nas crianças abaixo de 12 anos é diferente: será de 0,2 ml, ou seja, 0,1 ml a menos do que na dose de idades maiores. A vacina é segura e eficaz, já vem sendo aplicada nos Estados Unidos e outros países da Europa e foi autorizada pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). 

- Onde posso acompanhar as informações oficiais sobre a campanha de vacinação infantil contra a covid-19? 

Novas informações sobre a vacinação, assim como nova atualização do cronograma, serão amplamente divulgadas assim que o município receber a grade de vacinas. Para acompanhar todas as novidades sobre a Campanha Municipal de Vacinação, acesse a página: http://www.diadema.sp.gov.br/covid-19

 

Texto e fotos: Tatiana Ferreira