Tamanho do Texto

 

Acompanhar a formação de uma borboleta e presenciar o primeiro vôo rumo às plantas e frutas é experiência única que pode ser vivenciada no Borboletário Tropical Laerte Brittes de Oliveira.

Primeiro borboletário a ser criado na Região Metropolitana de São Paulo, inaugurado em 2005, o espaço visa contribuir com o processo de educação ambiental desenvolvido pela Secretaria do Meio Ambiente e a conservação de espécies típicas da Mata Atlântica.

As espécies criadas em cativeiro tem sobrevida maior que os insetos livres e são fundamentais para a conservação da biodiversidade, pois contribuem para a reprodução das espécies vegetais, mantendo a grande diversidade encontrada na Mata Atlântica. O viveiro de borboletas tem cerca de 190 m², onde vivem insetos adultos de quatro espécies; a Caligo illioneus, conhecida popularmente como “olho de coruja”; a Ascia monuste conhecida como “borboleta-da-couve”; Methona themisto e Heraclitis anchisiades. Os ovos, lagartas e pupas (casulo) ficam em um berçário junto ao viveiro.

No interior do Borboletário, existem cerca de trinta espécies de plantas que servem para o deposito de ovos, abrigo e também de alimento para as borboletas. A vegetação, entre outros benefícios, é importante para o abrigo dos ovos (oviposição). Semanalmente, os cuidadores do Borboletário realizam a coleta e levam para a casa  de criação. Lá se inicia todo o processo de criação: lagarta, pupa, borboleta e retorno ao viveiro.

 

Endereço: Rua Ipitá, 193 – Jardim Inamar

Tel.: 4059-7600 ou 4059-7619

Email: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.