Tamanho do Texto

    • Aproveitar o contato intenso com a natureza em plena urbanização é o principal atrativo para uma visita ao Jardim Botânico de Diadema. Localizado no bairro Inamar, possui uma área de vegetação em estágio inicial de regeneração e trechos de mata nativa, onde se destacam árvores de importância ambiental como pau-brasil, paineira, jacarandá, palmeira juçara, angico, urucum e jatobá.

      Mais do que oferecer o contato com espécies típicas da flora brasileira, o visitante tem a oportunidade de conhecer espécies exóticas como plátanos, magnólia e diversas espécies de palmeiras, além de vez ou outra encontrar visitantes inesperados como pássaros silvestres atraídos pela qualidade do ar.

      É no Jardim Botânico que são cultivadas todas as espécies de vegetação utilizadas no paisagismo da cidade. É no viveiro que são cultivadas cerca de quase toda produção de forração de Porte pequeno, além das orquídeas espalhadas pelas árvores do Jardim Botânico em uma área com cerca de 26 mil m².

      Principal Cartão postal do turismo de Diadema, o Jardim Botânico também é utilizado para atividades de educação ambiental para complementação curricular e pedagógica para escolas da região e em especial as do município. Monitores do espaço realizam visitas monitoradas por meio de agendamento por telefone. 

      Interresado no passeio? Prepare a cesta de piquenique e divirta-se entre as trilhas ecológicas do local. 

       

      Endereço: Rua Ipitá, 193 – Jardim Inamar

      Tel.: 4059-7600 ou 4059-7619.

      Email: educ.ambiental@diadema.sp.gov.br

       

       

      Inaugurado em 2007, o Museu de Arte Popular de Diadema (MAP) é primeiro no gênero na região do ABCD que reúne centenas de obras dos mais importantes artistas populares do Brasil, como Aécio de Andrade, Cícero Lourenço, João Cândido da Silva, Lourdes de Deus, Odonagué e Waldomiro de Deus. Com foco na Arte Naif, nome dado aos trabalhos de artistas sem formação acadêmica, o Museu também possui obras de autores locais, como Jerônimo Soares, Zé Pretinho e Geni Santos, com pinturas, objetos, esculturas e xilogravuras.

      Endereço - Rua Professora Vitalina Caiafa Esquivel, 96 (atrás da Câmara Municipal)

      Telefone: 4071-4243

       

       

      Acompanhar a formação de uma borboleta e presenciar o primeiro vôo rumo às plantas e frutas é experiência única que pode ser vivenciada no Borboletário Tropical Laerte Brittes de Oliveira.

      Primeiro borboletário a ser criado na Região Metropolitana de São Paulo, inaugurado em 2005, o espaço visa contribuir com o processo de educação ambiental desenvolvido pela Secretaria do Meio Ambiente e a conservação de espécies típicas da Mata Atlântica.

      As espécies criadas em cativeiro tem sobrevida maior que os insetos livres e são fundamentais para a conservação da biodiversidade, pois contribuem para a reprodução das espécies vegetais, mantendo a grande diversidade encontrada na Mata Atlântica. O viveiro de borboletas tem cerca de 190 m², onde vivem insetos adultos de quatro espécies; a Caligo illioneus, conhecida popularmente como “olho de coruja”; a Ascia monuste conhecida como “borboleta-da-couve”; Methona themisto e Heraclitis anchisiades. Os ovos, lagartas e pupas (casulo) ficam em um berçário junto ao viveiro.

      No interior do Borboletário, existem cerca de trinta espécies de plantas que servem para o deposito de ovos, abrigo e também de alimento para as borboletas. A vegetação, entre outros benefícios, é importante para o abrigo dos ovos (oviposição). Semanalmente, os cuidadores do Borboletário realizam a coleta e levam para a casa  de criação. Lá se inicia todo o processo de criação: lagarta, pupa, borboleta e retorno ao viveiro.

       

      Endereço: Rua Ipitá, 193 – Jardim Inamar

      Tel.: 4059-7600 ou 4059-7619

      Email: educ.ambiental@diadema.sp.gov.br