Serviços Mais Procurados

 

Doações vindas de drive thrus, coletivos, ações individuais, entidades e empresas já alimentaram mais de 45 mil moradores em Diadema

A solidariedade tem sido a marca da campanha “Sua Fome me Incomoda”, que a Prefeitura de Diadema vem realizando há mais de dois meses no município. As doações vindas de diversos setores da sociedade civil permitiram que mais de 45 mil pessoas recebessem alimentos e pudessem ter comida em casa.

No último sábado, voluntários que atuaram em drive thrus  montados nos estacionamentos dos supermercados Ricoy, conseguiram trazer para a campanha mais 280 quilos de produtos não perecíveis. A coleta aconteceu nas unidades Centro e Bairro Taboão e pessoas que estiveram nas lojas, fazendo compras, passavam pelos locais e deixavam as contribuições. 

“A realização de “Sua Fome Me Incomoda” é uma forma que a Administração encontrou para ajudar pessoas necessitadas, ou porque estão desempregadas ou vivem em estado social precário, e que tiveram suas situações ainda mais agravadas pela pandemia”, esclarece a primeira-dama e presidenta do Fundo Social de Solidariedade, Inês Maria de Filippi. 

O município que pelo cadastro único (CadiÚnico), do Governo Federal, tem perto de 20 mil famílias vivendo em extrema pobreza, busca via campanha socorrer humanitariamente os moradores. “É por meio dessa solidariedade e de outras ações que o município está realizando que estamos conseguindo ajudar a população que passa por tantas necessidades neste momento”, complementa a vice-prefeita de Diadema e secretária de Assistência Social e Cidadania, Patty Ferreira.

Formas de doar - Os donativos são desde 1 quilo de alimento, oferecido por um morador, 2 mil cestas entregues por uma empresa ou toneladas de produtos ofertadas por entidades, associação de condomínios, redes de supermercados e escolas particulares. Tem ainda as colaborações que chegam de cooperativas da agricultura familiar, sindicatos, instituições solidárias, funcionários públicos e trabalhadores que, voluntariamente, se cotizam dentro de uma fábrica no intuito de ajudar. 

Recentemente a Sodiprom Camp Diadema, instituição que trabalha com  adolescentes, entregou à campanha 150 quilos de comestíveis e os trabalhadores da empresa Waelzholz Brasmetal outros 1.500 quilos. Somadas as ajudas feitas por servidores municipais - 20 cestas básicas da Secretaria de Saúde, 09 da Gestão de Pessoas, 312 cestas de Assuntos Jurídico e doação em espécie de funcionários da Educação – todas as contribuições conseguidas são levadas ao Banco Municipal de Alimentos e logo repassados às famílias. 

A distribuição dos alimentos ocorre por meio da rede do Centro de Referência da Assistência Social (CRAS) e também de forma descentralizada, em equipamentos públicos nos bairros. 

Iniciativas individuais - “Ganha mais quem doa do que aquele que recebe”, diz a conselheira tutelar Maria Aparecida dos Santos, moradora do bairro Casa Grande. Por iniciativa própria, ela junto com a filha gestante e a irmã e saíram de porta em porta pedindo alimentos para campanha. Conseguiram 200 quilos de comida e agora Cida se prepara para ajudar na campanha do agasalho “Aquece Diadema” que o município realiza. “É muito gratificante participar de ação dessa natureza. Com tanto desemprego e fome, se todos contribuíssem com o que podem, as dificuldades humanas passariam mais rápido”, diz.  

Para outra Cida, esta Maria Aparecida Firmino Gomes, coordenadora do Clube de Mães do Jardim Amália, no bairro Campanário, participar da ação “Sua Fome me Incomoda” é ajudar os próprios moradores da sua comunidade. Ela e mais 12 vizinhos saíram em um carro de som pedindo alimentos e coletaram 2 mil quilos de produtos não perecíveis. 

“Recebemos doações de populares e também de duas empresas do bairro. Como tenho contato com pessoas idosas e muitas delas pediam alimentos resolvemos fazer o mutirão. E foi muito importante porque  distribuímos tudo que conseguimos dentro do nosso bairro”, finaliza a moradora que também participou da campanha “Sua Vida Importa Pra Mim”, fazendo máscaras e doando álcool gel.   

Quem também saiu às ruas em busca de alimentos foi um grupo de sambistas ligados a Associação das Escolas de Samba de Diadema (AESD).  Eles fizeram mutirão no Jardim Inamar e conseguiram mais 500 quilos de produtos para a campanha. 

Segundo o presidente da (AESD), Erick Sorriso, o mutirão é uma ação utilizada pela entidade para promover a solidariedade. “Nós já realizamos outras arrecadações para socorrer lares de idosos e agora estamos colaborando com a ação da prefeitura. Com a pandemia muitas pessoas estão passando privações e é necessário ajudar”, afirma o dirigente. Neste sábado, dia 26 de junho, o mesmo grupo estará em outro mutirão, no bairro Serraria, pedindo mais alimentos para a campanha. 

Outra colaboração importante veio da Associação Olho D’Água Meio Ambiente e Cidadania. Localizada na Praia Vermelha, em Eldorado, a entidade aderiu à campanha e doou  350 quilos de alimentos a Rede Cultural Beija-Flor. A instituição atende jovens e adolescentes e também fica no bairro Eldorado.

Além dos postos de arrecadação que funcionam dentro dos equipamentos públicos, a campanha “Sua Fome me Incomoda” também conta com a rede de Unidades Básicas de Saúde (UBSs) para angariar alimentos. Por meio delas mais de 5 toneladas de comida foram arrecadadas . Os donativos são entregues nas unidades quando as pessoas vão tomar as vacinas que as protegem do Coronavírus. 

A campanha “Sua Fome me Incomoda” está programada para acontecer até o próximo dia 27 de junho e quem quiser colaborar ainda há tempo. Até agora a ação humanitária de Diadema já arrecadou mais de 200 toneladas de alimentos e distribuiu mais de 180 toneladas.

Pra saber como doar acesse:  http://combateafome.diadema.sp.gov.br/  

 

Por Iara Santos Luz

Fotos Divulgação PMD

 

 

 
 
  

Vídeos em destaque

        .