Serviços Mais Procurados

Por: Beatriz Lucas

Já imaginou uma partida de futebol em que não se pode correr? Essa é a proposta do walking football, o futebol andando. Nessa modalidade, andar atrás da bola, ao invés de correr, é regra fundamental. Nesta sexta-feira, 27/09, a atividade fez parte da programação do Agita Idoso e reuniu diversos idosos no Clube Mané Garrincha, em Diadema.

As partidas foram organizadas em parceria com a Walking Football Brasil e garantiram a animação da dona Alice Bezerra que, aos 70 anos,  nunca tinha jogado futebol na vida. “Eu gostei muito. Foi a oportunidade que eu tive de jogar. Nunca joguei futebol, mas sempre assisti porque gosto muito”. Alice Bezerra foi considerada atacante do time, com várias chances de gol. “É uma emoção muito grande chutar a bola para o gol”, completou.

Os jogos contaram com a participação de adolescentes do Projeto Água Santa para tornar a partida ainda mais interessante e promover um encontro intergeracional. Para Otávio Gabriel Ferreira Rosa, de 13 anos, foi difícil se acostumar com as regras do jogo. “Foi uma experiência que eu nunca tinha vivido. Não sabia que existia esse tipo de modalidade. Foi bem difícil porque a principal função do futebol é correr. Quando a bola ia sair na lateral, tinha vontade de sair correndo, mas lembrava da regra e parava. Eu achei legal, também, jogar com os idosos. Gostei muito”.

Essa mesma vontade de sair correndo atrás da bola, foi o que a dona Maria de Almeida Sofia sentiu jogando. “Queria fazer igual ao Neymar e sair correndo. Achei muito legal. Não conhecia esse esporte”, explicou.

A modalidade surgiu no Reino Unido e está presente em 14 países. O walking footbal surgiu com o intuito de tornar o futebol mais inclusivo e acessível para os idosos. “Toda atividade esportiva voltada para essa população envolve muito mais que preparação física, acaba envolvendo criação de laços, cultura sobre o próprio corpo e questões de convivência e esse é o nosso propósito”, destacou o diretor da Walking Football Brasil, Daniel Castro Leite.

“Essa parceria com Diadema é super importante. A cidade já tem centros que atendem aos idosos com atividades físicas, culturais, esportivas e nós estamos aqui para somar”, concluiu.

O Agita Idoso faz parte do Programa Agita São Paulo, criado para combater o sedentarismo no Estado de São Paulo, promovendo atividade física e orientando sobre os benefícios de um estilo de vida ativa. Para isso, incentiva a prática de 30 minutos de exercícios físicos por dia ou 150 por semana. Com o tema “Vida Longa, Vida Ativa”, este ano o Programa instituiu ações no dia 27/09, porém a Diadema contou com atividades durante toda a semana desde segunda-feira, 23/09.

“Toda programação tem o objetivo de incentivar um envelhecimento ativo e saudável. O walking football proporciona além da prática do esporte, um resgate de vivências da juventude”, ressaltou a secretária interina de Assistência Social e Cidadania, Caroline Rocha.

Outras ações

Diadema conta com seis Serviços de Convivência e Fortalecimento de Vínculos para idosos. Um deles é o Centro de Convivência da Melhor Idade (CCMI) que oferece diversas oficinas como tricô, crochê, pintura em tecido, pintura de tela, patchwork (trabalho com retalhos), dança cigana e do ventre, zumba, carimbó e também atividades como tênis de mesa, ginástica com treino funcional e dominó.

Para participar desses serviços, os interessados devem procurar o Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) mais próximo.

Em 2018, a Prefeitura de Diadema, por meio da Secretaria de Assistência Social e Cidadania, recebeu o Selo Inicial do Programa São Paulo Amigo do Idoso. Esta é uma iniciativa do Governo do Estado de São Paulo que tem como objetivo incentivar os municípios no desenvolvimento de ações que promovam a qualidade de vida dos idosos, premiando com uma certificação os que cumprirem progressivamente as etapas.

Além disso, a Educação de Jovens e Adultos (EJA) com horário matutino e vespertino é uma das novidades da Secretaria de Educação neste ano para o público idoso. Grande parte dos idosos encontra dificuldades para estudar no período da noite, motivo pelo qual a Prefeitura de Diadema atendeu uma demanda do Conselho Municipal do Idoso para atender este público.

 

Outra novidade é a Universidade Aberta às Pessoas Idosas (UAPI), da Unifesp, que atende 55 idosos do município.

 
  

Vídeos em destaque